22 / 03 / 2017 - 23h13
5 verdades sobre a influência da alimentação no risco de câncer

Existem muitas informações inconsistentes sobre a relação entre dieta e câncer. Para tentar colocar fim em algumas dúvidas, a oncologista Merry Markham, da Sociedade Americana de Oncologia Clínica, nos Estados Unidos, listou cinco verdades sobre essa ligação, com base no que a ciência tem a dizer. Confira:

1 – Comer vegetais é fundamental

A ingestão desses alimentos, principalmente os crucíferos, como brócolis, rúcula, couve-flor e repolho, ajuda a levantar nossas defesas contra as células cancerosas. Os benefícios são vistos principalmente contra os tumores de boca, faringe, esôfago e estômago.

2 – Soja pode ajudar mulheres com câncer de mama

Um estudo recente parece ter jogado uma luz sobre a polêmica que envolve essa leguminosa. Segundo a análise, mulheres com a doença que abocanham o alimento com mais frequência têm um risco 21% menor de morrer em nove anos e meio — ao contrário do que se imaginava antes.

Os homens com nódulos malignos na próstata também se beneficiam. Investigações apontam que o grão diminui os níveis do antígeno prostático específico (PSA), uma substância que, em altas quantidades, está associado ao desenvolvimento desse tumor.

3 – Café é ok, mas cuidado com a temperatura

Foi só ano passado que a Organização Mundial de Saúde (OMS) tirou o cafezinho da lista de carcinogênicos. Depois de analisar cuidadosamente mais de 1 mil estudos, a agência concluiu que a bebida não estava ligada à doença. Mais: afirmou que ela até pode reduzir o risco de câncer no fígado e no endométrio.

Só fique atento à temperatura. Tomar líquidos muito quentes aumenta a probabilidade de tumores no esôfago — o recado vale para o chimarrão, por exemplo.

4 – Maneire no churrasco

Essa conexão precisa ser melhor investigada, mas o consumo de carne grelhada, assada ou defumada parece elevar a taxa de mortalidade depois do câncer de mama, além de aumentar a incidência de tumores colorretais, de pâncreas e de próstata.

O que causa tudo isso? Aparentemente, a liberação dos hidrocarbonetos aromáticos policíclicos durante o preparo da carne. Essas moléculas, aliás, também acessam nosso organismo por meio da poluição e da fumaça de cigarro.

5 – Não existe dieta comprovada para prevenir o câncer

Estima-se que um terço dos casos desse mal em adultos está vinculado ao estilo de vida, que inclui o cardápio. Mesmo assim, é quase impossível se blindar por completo do aparecimento de tumores, já que a genética têm um papel em seu desenvolvimento. Apesar disso, evidências apontam que a Dieta Mediterrânea, rica em vegetais, frutas, grãos integrais, azeite e peixe, ajudar a afastar o câncer de mama.

(Saúde)