03 / 02 / 2018 - 18h31
Areolino de Abreu realiza prévia “Loucos por Carnaval”

Serpentinas, glitter, banda de música, marchinhas e as majestades do carnaval. Além de alegria, sorrisos, danças e folias, foi com esse espírito festivo que os pacientes internados no Hospital Areolino de Abreu tiveram, nesta quinta-feira (2), a primeira prévia carnavalesca “Loucos por Carnaval”. Como parte do tratamento psiquiátrico, a promoção de eventos de forma continuada é uma das estratégias para qualificar a humanização do tratamento e intensificar os cuidados aos pacientes, reforçando os vínculos com a sociedade.

O diretor geral do Hospital, psiquiatra Ralph Trajano, explica também que atividades lúdicas contribuem para a orientação espacial, além do contato com a sociedade. “Para os pacientes com longa permanência no Hospital, é necessário que se façam atividades do momento atual, das datas comemorativas, pois ajudam a manter a orientação espacial, o contato com a sociedade, que muitas vezes é responsável por eles ainda estarem aqui”. 

O médico afirma também que “as terapias médicas e psicológicas se combinem com as terapias sociais, como essas atividades, e a participação de entidades, outros grupos da comunidade para que eles não percam vínculo social por completo”. 

Manter e reforçar os vínculos significam também envolver familiares e amigos tanto na organização como na festa em si. Antes de cair na folia, há uma grande concentração para decorar o espaço e escolher as majestades do carnaval, como relata o educador físico Carlos Alberto Lima. “Nós tivemos toda uma preparação para esse momento, com prévias para a escolha do rei e da rainha do carnaval. Eles tiveram com as educadoras artísticas, de oficina de artes, com confecção de máscaras e colares, a ornamentação do espaço, atividades que, por excelência, é um momento oportuno como recurso terapêutico para eles”, declarou. 

Segundo Lima, logo nos preparativos, o paciente tem uma segurança em manifestar seus sentimentos, melhor integração com outros pacientes, com os funcionários e os familiares, e a atividade serve como terapia também para resgatar os padrões comportamentais anteriores ao da doença.

Mais de 80 pacientes participaram da prévia carnavalesca, que carinhosamente foi chamada “Loucos por Carnaval”, expressão para quebrar estigmas e romper preconceitos. Afinal, quem não é louco por carnaval? 

O Rei e a Rainha do carnaval de Teresina, Banda 16 de Agosto e a Escola de Samba Sambão participaram da festa de Momo do Areolino, que na próxima sexta (9), mais uma vez vai entrar na avenida, com a Banda da Polícia Militar.

(ccom)