07 / 02 / 2018 - 17h52
Em um ano, reabilitação auditiva do Ceir realiza mais de 7 mil atendimentos

O Programa de Saúde Auditiva do Centro Integrado de Reabilitação (Ceir) contabilizou mais de 7 mil atendimentos no ano de 2017, o que representa mais de 500 atendimentos por mês. A iniciativa tem o objetivo de melhorar a qualidade de vida de pessoas que sofrem com problemas auditivos nos graus leve, moderado, severo e profundo.

O Ceir está habilitado para diagnóstico e reabilitação de pessoas com deficiência auditiva, além de contar com uma equipe multiprofissional composta por fonoaudiólogos, otorrinolaringologista, assistentes sociais e psicólogos.

Edyáurea Barroso, gerente de Reabilitação Auditiva do Centro, explica como acontece o atendimento na instituição. “Primeiro, o otorrino avalia se a perda auditiva é reversiva ou não; o fonoaudiólogo realiza o exame de audiometria, avaliando o tipo e grau de surdez; e o psicólogo identifica a motivação do paciente para o uso do aparelho. Cada profissional tem decisão no processo de protetização do paciente", diz.

Antônia Maria conta que realizou os exames de logoaudiometria e audiometria tonal. Eles servem para diagnosticar o nível de compreensão da paciente referente à fala humana e para avaliar o tipo de perda auditiva. Durante o exame, foi identificada uma perda auditiva severa e ela terá que usar aparelho auditivo, que pode ser adquirido de forma gratuita pelo Centro.

“O diferencial do Programa de Saúde Auditiva oferecido pelo Centro é que, além de receber o aparelho auditivo, a pessoa com deficiência também é acompanhada em terapias, onde o paciente fala das suas dificuldades e adaptações e tem o seu aparelho ajustado para fazer o melhor uso e aproveitamento”, diz Aderson Luz, superintendente multiprofissional do Ceir.

Como ter acesso ao Programa de Saúde Auditiva do Ceir
Procure o médico do Programa de Saúde da Família ou credenciado pelo Sistema Único de Saúde (SUS) e solicite uma avaliação auditiva no Centro; anexe à solicitação do médico as cópias dos seguintes documentos: CPF e RG, cartão do SUS (Cartão Nacional de Saúde), comprovante de residência com CEP e, pelo menos, um número de telefone para contato; procure o setor de marcação de consultas online do SUS no Posto de Saúde ou Secretaria de Saúde do seu município. Havendo vagas, o sistema irá informar o profissional, dia e o horário da triagem no Centro.

(ccom)