22 / 05 / 2018 - 19h02
Rubem Martins nega que oposição estaria utilizando bloqueio de empréstimo contra Wellington Dias

Os deputados Rubem Martins e Gustavo Neiva, do PSB, apresentaram requerimento pedindo a formação de uma comissão especial de parlamentares com o objetivo de acompanhar a realização de obras previstas no contrato de empréstimo Finisa I assinado entre o Governo do Estado e a Caixa Econômica Federal.

No começo deste ano, a Justiça decidiu suspender o repasse de recursos referente a segunda parcela de um empréstimo feito pela Caixa Econômica Federal ao estado do Piauí. A decisão é da juíza da 5ª Vara Federal, Marina Rocha Cavalcante Barros que afirma haver falha na prestação de contas dos recursos.

O empréstimo a que o Piauí tem direito faz parte da linha de crédito da Caixa Econômica denominada Financiamento à Infraestrutura e ao Saneamento (Finisa), que, como diz o próprio nome, é destinada a investimento de infraestrutura. Várias obras no Piauí estão paradas aguardando o repasse desse empréstimo.

Em entrevista à reportagem do Grande Jornal, o deputado estadual Rubem Martins fala que o dinheiro do empréstimo foi retirado da Caixa, colocado na cota única, mas não foi destinado para a finalidade para qual foi adquirido. Ele cita algumas obras que deveriam ter recebido o dinheiro, mas não foi.

“O empréstimo da Caixa Econômica, que são dois, duas operações, a primeira o governador recebeu a primeira parcela da primeira operação, no valor de 307 milhões, apresentou para solicitar esse dinheiro, uma lista de obras a serem realizadas neste valor, muitas dessas obras é daqui da região de Picos”, disse.

O deputado especificou algumas obras que receberiam parte do dinheiro. “O trecho que liga Picos a Itainópolis, algo em torno de 5 milhões de reais. Outro trecho da estrada de Picos a Santa Cruz do Piauí também, 2,5 milhões de reais que não foi realizado. E um exemplo muito nítido, é o elevado de Picos, 12 milhões de reais que também não foi feito. O asfaltamento de algumas ruas da cidade de Santo Inácio do Piauí, também não foi realizado. Quer dizer, o dinheiro foi retirado da Caixa, colocado na cota única e o governador desviou a finalidade”, afirmou.

Rubem Martins nega que oposição estaria utilizando bloqueio de empréstimo para fazer política contra Wellington Dias, mas cobra transparência sobre o destino dos 307 milhões que o atual governador retirou do banco.

“Nós da oposição, em nenhum momento nos posicionamos contra, até porque nós aprovamos o empréstimo na Caixa, a lei que autorizativa foi aprovada pelos deputados da situação e de oposição. O que nós não podemos concordar é com o desvio na aplicação”, argumentou.

O deputado disse que esteve em Brasília na semana passada, acompanhado de outros políticos piauienses, com o objetivo de solicitar agilidade a Caixa para que os recursos do empréstimo fossem liberados, mas mediante a fiscalizações e apresentação de faturas.

(Grande Picos)