03 / 07 / 2018 - 17h15
Cápsula com suspeita de radioatividade é encontrada no bairro Junco

Moradores do bairro Junco acionaram a Polícia Militar e Vigilância Sanitária após encontrarem uma cápsula abandonada em um ferro-velho. Com suspeita de radioatividade, o material precisou ser isolado para que fosse solicitada uma inspeção antes de ser manipulado.

De acordo com a coordenadora da Vigilância Sanitária de Picos, Rita de Cássia, a população temia um acidente radioativo no município, semelhante ao que aconteceu em Goiânia – o acidente de Goiânia, ocorrido em 1987, começou quando uma cápsula de chumbo contendo por volta de 20 gramas de cloreto de césio-137 (CsCl) foi removida de um aparelho de radioterapia abandonado. Foi considerado o maior acidente radioativo do Brasil e o maior do mundo fora de usinas nucleares.

“Essa denúncia chegou através da população do Junco que ficou muito apavorada, já lembrando do incidente de Goiânia. Então nós entramos em contato com a Vigilância Estadual, com a doutora Tatiana e ela nos mandou uma resolução de 2013, onde nos dizia que a única [máquina] aqui no Piauí que tem problema em relação a ser muito grave a radioatividade, é só no aparelho que nós temos no Hospital São Marcos em Teresina”.

A coordenadora disse ainda que foi solicitado um laudo da empresa responsável pela fabricação do aparelho, da marca Phillips, para certificar que ele não oferecia riscos.

Rita de Cássia afirmou que, após a confirmação de que não haveria riscos, através de uma declaração técnica de segurança e estabilidade, a cápsula pôde ser manipulada pelo dono do ferro-velho. Segundo ela, este era um aparelho de ressonância magnética que foi descartado por uma clínica de Picos, cujo material era composto apenas por aço, cobre e alumínio.

(Grande Picos)