27 / 11 / 2018 - 18h09
Wellington determina cortes de R$ 150 milhões em despesas

O governador Wellington Dias (PT) confirmou que pretende reduzir em R$ 150 milhões os gastos com a máquina pública durante o ano de 2019. O anuncio foi feito ao chegar para a reunião com a equipe de governo na sede da Secretaria de Cultura, no Centro de Teresina.

A imprensa teve acesso a reunião apenas no início, que segue a portas fechadas. Dias confirmou que haverá fusão de secretarias. Participam os gestores Antonio Neto (Planejamento), Rafael Fonteles (Fazenda), Ricardo Pontes (Administração), Nuno Bernardes (CGE), dentre outros da administração direta e indireta e parlamentares eleitos.

“Estarei anunciando medidas nessa área voltada para a contenção de despesas, adequando a realidade do momento. Quero entrar 2019 com o custo adequado a capacidade do Estado, já que prevemos um ano muito desafiador. Isso vai exigir uma organização interna para não ter desequilibrio”, disse o governador.

Wellington Dias afirmou ainda que algumas medidas que vai anunciar não dependem do Legislativo e são “intra governo”. “Haverá redução de despesa extra-quadro. São quadros provisórios no Estado, muitas vezes de contrato de manutenção, assistência técnica, pagamento de veículos, diárias e outras despesas. O objetivo é alcançar 2019 com uma redução de R$ 150 milhões”, declarou.

O governador informou ainda que o Orçamento 2019 é de R$ 9,5 bilhões e que o esforço é para reduzir esse montante em R$ 150 milhões.

“Estamos fazendo ajustes nesta área (fusão de Secretarias) com dois objetivos: não apenas adequar para o programa de governo, mas também para a contenção de despesas. Essas depende de aprovação Legislativa, mas ainda não concluímos os levantamentos”.

“Qualquer definição é chutômetro. Na verdade não concluímos ainda a análise e ainda não tomei uma decisão sobre como vai ficar a nova estrutura. Está bem andado, estamos trabalhamos, mas não terminei”, ressaltou.

O secretário de Administração, Ricardo Pontes, adiantou que o governador Wellington Dias estuda a possibilidade de fusão das Secretarias de Assistência Social e a do Trabalho. Segundo ele, o grupo de trabalho que estuda a reforma administrativa apresentou várias propostas ao governador. Algumas delas, o chefe do Executivo pediu novas mudanças e outras foram mantidas. De acordo com o secretário, são 29 secretarias no Estado e 12 coordenadorias.

Sem dar mais detalhes, Ricardo Pontes apenas confirmou que haverá fusão de secretarias com coordenadorias e vice-versa. Além da fusão da pasta da Assistência Social e Trabalho, há a intenção do governo de fundir também as secretarias de Mineração e Desenvolvimento Econômico.

“Não fechamos ainda. Faltam alguns detalhes. Estamos trabalhando em cima, já que o governador determinou considerando principalmente a nova conjuntura. apresentamos propostas, algumas eles não gostou e outras tivemos que fazer alterações”, afirmou Ricardo Pontes.

Participam da comissão que estuda a reforma administrativa integrantes da Secretaria de Fazenda, Administração e Planejamento.

(Cidade Verde)